III Fórum Extraordinário: propostas premiadas e agradecimento

III Fórum Extraordinário: propostas premiadas e agradecimento

O Capítulo Argentino do Club de Roma agradece a participação dos oradores e de todos os que comentaram e votaram as suas propostas, assim como de todos os que acompanharam a leitura das apresentações.

As exposições foram muito interessantes, em especial os aspectos de cada uma delas que iremos destacar, os quais podem considerar-se fundamentais para praticar modos mais simpáticos de desenvolvimento e progresso social:

Na apresentação de Guille84, a ênfase na costela espiritual da natureza humana como equilíbrio necessário do progresso material.
Na proposta de marianoturziy, o progresso como um processo, como um projecto superador; o esforçar-se para ser melhor e reforçar os melhores aspectos do homem.
Na exposição de MarianitaD, o conceito de “desenvolvimento sustentável” como guia do progresso e o abandono do antropocentrismo.
Na apresentação de Carulli72, a importância de esforçar-se pelo que falta fazer e contribuir à medida de cada um.
Na apresentação de Tina, a renovação cíclica do conceito de progresso, e a necessidade da flexibilidade e versatilidade numa realidade com necessidades de mudança e movimento contínuos; a transformação que surge a partir da união da arte, da vida e dos costumes.
Na exposição de Manuel, a procura da felicidade para progredir; o equilíbrio harmonioso entre o conhecimento, a moral e a arte; elevar a qualidade de vida de maneira sustentável; a projecção de futuro.
Na apresentação de Denis H., o progresso como processo endógeno, como aquele que surge na estrutura organizativa; a ética e a procura ética.
Na apresentação de Sara, a importância de conhecer a dinâmica dos sistemas naturais; o praticar valores e realizar acções que engrandeçam o espírito; o consumo ético; a necessidade de líderes empenhados; uma nova educação.
Na apresentação de csciccone, a importância da responsabilidade individual que deve assumir-se quotidianamente em prol do desenvolvimento sustentável; a necessária tarefa de consciencialização; o respeito pelas gerações futuras; o controlo dos Estados e dos organismos supranacionais em prol do desenvolvimento sustentável.

As apresentações suscitaram as seguintes reflexões:

A pergunta sobre como se quer viver e progredir de forma mais equilibrada no mundo talvez se construa como uma das particularidades inéditas da história, porque a mesma encontra-se surgindo, de maneira comum, em todos os estádios da vida humana, e atravessa as distintas sociedades e culturas do planeta como nunca antes. Actualmente realizam-se variadas acções tendo como guia o conceito de desenvolvimento sustentável; isto pode ser uma prova da tentativa real para dar respostas satisfatórias àquele questionário transcendental.

A tomada de consciência da importância que têm no são desenvolvimento da vida do homem, muitos dos aspectos assinalados nas apresentações (a felicidade, a espiritualidade, o amor, a ética, etc.), encontra-se, ao que parece, num processo de expansão e consolidação.

Se bem que os aspectos considerados negativos da realidade podem frequentemente fazer-nos duvidar daquilo, estes aspectos não neutralizam nem suprimem o processo expansivo do despertar da consciência, o qual tem a ver, em parte, com a compreensão ética e a assimilação espiritual do erro que significa o avassalamento do outro, seja outro homem ou outra entidade da vida; isto significaria um passo importante para a neutralização do respeito pelo outro, praticado já a partir de uma cosmovisão biocêntrica.

A conquista do desenvolvimento sustentável depende em grande medida da dita assimilação e prática, uma vez que não parece possível alcançar um nível de desenvolvimento sustentável, estável e duradouro, sem aplicar, no mínimo, ética meio ambiental, que inclui nos seus juízos questões como a produção sustentável, o consumo responsável e a responsabilidade individual na harmonia da vida, entre outras.

A actual preocupação com o impacto ambiental que temos na nossa forma de viver e a consequente acção de um número cada vez maior de pessoas e instituições para evitar o dano ambiental e procurar práticas sustentáveis, podem ser uma amostra certa do referido despertar da consciência.

Fazer coincidir desenvolvimento e progresso com sustentabilidade é um dos grandes desafios do nosso tempo. Em certa medida começou-se a percorrer este caminho; e dependerá do compromisso com que se o encare o maior ou menor tempo que levará para estabelecer no mundo uma forma de vida sustentável.

O caminho de desenvolvimento e progresso sustentável também parece estar desocultando com rapidez o valor da costela espiritual do homem, entendida e praticada na sua forma mais básica: o amor. Se existem dificuldades para a sua prática devido ao tipo de sistema vigente, pode observar-se uma expansão do amor, em princípio, em relação com a vida natural.

O respeito pelo meio ambiente, pela vida, é fundamental no processo de direcionamento do nosso modo de viver para um modo que seja sustentável. O amor potencia, garante e consolida este caminho de indiscutível superação.

Tal como ficou expressado nas exposições apresentadas, são múltiplos os factores que entram no progresso das sociedades. Cabe também assinalar que a criatividade e o engenho situam-se entre os factores mais procurados hoje em dia devido às urgências do meio ambiente conhecidas, e estes factores dependem muito da busca apaixonada do novo, da vanguarda, do útil, do bom e do conveniente.

Respeitosos cumprimentos,
Capítulo Argentino del Club de Roma

Apresentações premiadas

Nesta ocasião, o Capítulo Argentino do Club de Roma decidiu atribuir um primeiro e um segundo prémio.

O primeiro prémio foi atribuído a Manuel. Compete a todos os actores da sociedade procurar a felicidade, criar as condições para a projecção do futuro e esforçar-se por elevar a qualidade de vida. Torna-se interessante assinalar estes aspectos como indicadores de progresso numa sociedade.

Assinalamos apenas que o seu exemplo sobre os países escandinavos merecia uma maior análise, tendo em conta a problemática dessas sociedades tão admiráveis como complexas.

O segundo prémio de $3000 foi entregue a Tina. Foi valorizada a sua ideia da transformação que surge da união entre a arte, a vida e os costumes. É de esperar que o encontro que possa produzir-se entre esta união e a aparente expansão da consciência, acima mencionada, dê lugar a transformações inéditas e imprevistas.
Também foram muito interessantes as noções de flexibilidade e versatilidade, as quais podem ser executadas com maior facilidade nas sociedades livres da intenção de fazer encaixar as acções em esquemas conceptuais rígidos ou corpos ideológicos definidos.

No Hay Comentarios

Agregar Un Comentario